THE LEGACY OF KAIN – A ÓPERA VAMPIRESCA

 

Quando penso em games que, nos últimos anos, realmente contribuíram para o crescimento de conceitos como modo de jogo, liberdade na interação e, principalmente, narrativa, não um game, mas uma serie de games, logo vem a minha cabeça. Esta série é Legacy Of Kain que, em muitos aspectos, foi como um divisor de águas que melhorou conceitos e contribuiu para mais um salto evolucionário e, junto com outros, ajudaria a definir toda uma nova geração de games, inclusive a atual. A serie é dividida em 5 games, sendo eles:

Blood Omen: legacy Of Kain (PC, PS1, PSN) – 1996
Blood Omen 2 – Legacy of Kain: (PC, Ps2, Xbox, Gamecube) – 2002
Soul Reaver: (PC, Ps1, Dreamcast< PSN) – 1999
Soul Reaver 2: (Ps2, Dreamcast – Nunca lançado) – 2001
Legacy Of Kain – Defiance (PC, PS2, XBOX) – 2003

Vou fazer este review seguindo a ordem cronológica da história, e não do lançamento dos games, senão ficará confusa. Também vou procurar não contar toda a história, nos detalhes, pois, quem ainda não conhece, precisa sentir a experiência jogando, mesmo porque, o grande astro neste game é o roteiro. E eu garanto que, quem ainda não jogou e vai jogar, não irá se arrepender nem um pouco…

1º Capitulo – Blood Omen: Legacy of Kain

 

Iniciada em 1996 com o game Blood Omen, The legacy of Kain, Somos apresentados ao mundo de Nosgoth, cuja existência e a ordem, são regidas por pilares que representam as forças básicas da natureza. Cada um dos nove pilares representa uma das forças que rege o mundo, e cada um possuía um guardião. As nove forças são a morte, conflitos, existência, energia, tempo, dimensão, natureza, a mente e o equilíbrio.
 Cada um destes nove pilares é guardado por um guardião, que faz parte do chamado “Circulo dos nove”. Após uma serie de eventos, estes guardiões são exterminados, bem como Kain é traído e assassinado e Nosgoth entra em uma era de Caos. Porém, a Kain é dada uma segunda chance, pelas mãos de um dos únicos sobreviventes do circulo dos nove: O Feiticeiro Mortanius, que oferece a Kain transformá-lo em um Vampiro, para que o mesmo possa vingar-se de seus assassinos e restabelecer a ordem em Nosgoth. Com isso a jornada do vampiro Kain se inicia, em uma história de Destinos cruzados, viagens no tempo e inúmeras reviravoltas que, se você piscar na hora errada corre o risco de ficar sem entender. Ao final, Kain, após ter descoberto que, na verdade, quem estava por trás de toda a trama, era na verdade o próprio Mortanius e que ele mesmo é o guardião de um dos pilares, o do equilíbrio e que, sendo o ultimo de sua espécie, bem como somente este pilar faltava para ser restaurado, somente seu sacrifício faria com que a maldição de Nosgoth chegasse ao fim. Portanto, ao jogador é dada a escolha: Auto sacrifício ou ascensão ao poder como o Vampiro Rei de Nosgoth…Bem..Adivinhe qual foi a minha escolha?

Este primeiro jogo, com vista aérea, é mais marcado pelas características de RPG e exploração. Obviamente que existem os combates, que são livres, e não por turnos, o que joga o gamer direto para a ação. Durante todo o game, Kain vai adquirindo mais poderes e armas (como a Soul reaver, nome que será bastante dito durante este, e os próximos games da serie), inclusive, como todo vampiro que se preze, pode mudar de forma, para lobo, onde sua força e velocidade aumentam, bem como para morcego, podendo se deslocar por grandes distâncias, e até em névoa, onde pode atravessar paredes e, para restabelecer sua energia, pode sugar o sangue de suas vitimas ( mesmo de longe, o que é muito útil em várias ocasiões). Os menus também são, tipicamente, de um RPG, onde se pode alterar quase todas as configurações de armas e armaduras e acionar os poderes que Kain vai adquirindo durante a aventura. Os gráficos também são extremamente competentes, bem como toda a ambientação e estética criadas são adequadas à proposta do game, ou seja, um mundo sombrio, cheio de castelos, catacumbas e seres que remetem ao folclore vampiresco. Os controles são extremamente fluidos e precisos, principalmente quando se joga a versão para Playstation, com o Dualshock, apesar deste game ter sido concebido, primeiramente, para o PC.

Todos estes atributos descritos aqui fazem deste game um verdadeiro clássico, quase perfeito em sua concepção, que se faz extremamente necessário na coleção de qualquer gamer que se preze.

OBS.: Este jogo está disponível para Download na PSN ao custo de U$ 5,99 (Vale cada centavo).

Dados Técnicos:
Blood Omen: Legacy of Kain
Ano de Produção: 1996
Desenvolvido por: Silicon Knights
Produtores: Crystal Dynamics
Plataformas: PlayStation, Microsoft Windows, PlayStation Network

Próximo capitulo: Blood Omen 2 – Legacy of Kain

Anúncios

Uma resposta to “THE LEGACY OF KAIN – A ÓPERA VAMPIRESCA”

  1. Dorgival Soares de Souza Says:

    Ola pesoal , já joguei as treis fazes do soul reaver / legacy of kain.
    porem perdi o jogo 3 defiance e não o encontro para comprar , gostaria de saber se alguem o tem e poderia fazer uma cópia para pc, e enrar em contato para poder viabilizar a compra do mesmo . antecipadamente já tem a gratidão . Dorgival S Souza
    souzadorgival@gmail.com para contatos .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: